O que é Poliestireno Expandido - EPS?

1 ORIGEM:

O poliestireno expandido ou EPS (na sigla, em inglês) é o nome científico do ISOPOR, marca já registrada.

O EPS/isopor é um material super conhecido e muito utilizado até mesmo em coisas que a gente nem imagina. Foi descoberto na Alemanha em 1949.

 

2 COMPOSIÇÃO:

O EPS é uma espécie de plástico feito a partir do estireno, derivado do petróleo. O material passa pelo processo de polimerização, formando o poliestireno, composto por carbono e hidrogênio. Ele é expandido (mais de 95% de ar) e por isso pode se transformar em produtos com vários formatos.

 

3 APLICAÇÕES:

O material tem várias utilidades! Os mais observados pelos consumidores são as embalagens, caixinhas térmicas para alimentos e também como proteção para aparelhos e máquinas como televisão e geladeira, e produtos frágeis como remédios. Mas, o que muita gente não sabe é que o isopor também é usado na construção civil. Isso mesmo! O EPS é um excelente isolante térmico e resistente a determinadas condições, sendo assim muito útil!. Entra, por exemplo, na preparação de concreto leve, lajes, telhas, forros, câmeras frigoríficas. Um dos principais usos do poliestireno expandido na construção de edifícios é justamente quando o projeto exige isolamento térmico. É o caso das lajotas de EPS como elemento inerte para lajes, no telhado com a função de isolante térmico, no revestimento de paredes e de pisos. O material apresenta, ainda, características importantes como baixo peso, resistência, durabilidade, atoxidade e absorção de choques. Tudo isso faz do poliestireno expandido um produto muito versátil.

Alguns cuidados devem ser adotados na utilização do poliestireno expandido para isolamento térmico, é essencial na construção civil especificar o EPS classe F, composição que utiliza retardante a chamas. O principal cuidado é garantir a sua reação ao fogo, através de laudos e relatórios técnicos, feitos por laboratórios especializados, devido às instruções técnicas de bombeiros de cada estado.         

           

4 RECICLAGEM:

O EPS/isopor é totalmente reciclável. Mas, é preciso que esteja limpo e separado de partes metálicas, de papel ou adesivos. Nada de mandar o material para reciclagem sem antes dar uma limpadinha nos resíduos! No processo, ele é triturado e reduzido mecanicamente para formar pérolas (pequenas bolinhas). Após o aquecimento dos flocos em sistemas de extrusão, o ar é liberado e eles são fundidos. A máscara viscosa que é formada dá origem a objetos como clipes de papel, interruptores, caixas e materiais de escritório.

 

5 DESCARTE:

O processo de coleta e reciclagem do material não é tão simples. Como é leve, porém muito volumoso, o transporte acaba sendo caro. Para que seja viável, as quantidades devem ser muito grandes e muitas cooperativas não estão preparadas – por isso, muitas cooperativas estão se preparando para o correto acondicionamento do material.

O isopor descartado de forma incorreta causa uma série de prejuízos à natureza: ocupa muito espaço nos aterros e lixões, que estão saturados e poderiam ser destinados a outros resíduos. Por ter a decomposição muito lenta e ser impermeável, prejudica o solo e impede a penetração de água. Quando cai em rios e mares, além de poluir, podem confundir os animais (que pensam que é comida).

 

FONTE: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA QUÍMICA

 

 

Confira também:

Concretagem de laje

EPS e o Meio Ambiente

ISOMAF - Construsul 2017